UM POUCO DA HISTÓRIA DA CANOA POLINÉSIA


A colonização das Ilhas Polinésias – Taíti, Hawaii, Aotearoa (Nova Zelandia), Rapa Nui (Ilha de Pascoa) – considerada por muitos como uma das maiores aventuras da humanidade – se iniciou com a utilização das Canoas Polinésias, Va´a (nome tradicional das canoas) ou Wa’a, há aproximadamente 10.000 anos.
As canoas eram parte essencial na vida destas civilizações que habitaram toda a extensão do triângulo da Polinésia como Malásia, Papua Nova Guiné, Indonésia, Filipinas, Austrália e Sudeste Asiático, mas também existem relatos de Madagascar, onde canoa muito similar era utilizada pelos nativos para a pesca e expedição.

Eram canoas muito rústicas, sempre unidas entre grandes troncos de madeira e amarrações feitas com fibras e técnicas daquela época pra aguentarem mares bravos e grandes travessias.
Os polinésios usavam as canoas como meio de transporte entre as ilhas e elas traziam características regionais e de acordo com a função, pois havia aquelas especialmente preparadas pra grandes travessias ou pra guerra, ou com características locais, como por exemplo, no Hawaii as canoas tem mais curvatura de fundo devido ao mar agitado enquanto no Taiti elas tem formato mais alongado e retilíneo.
Todas têm em comum as três partes fundamentais neste tipo de embarcação: o casco (ou hull), o flutuador (ou ama) e os braços que ligam um ao outro (yakos).
Eram barcos extremamente simples, funcionais e versáteis, feitos com ferramentas rudimentares de pedras, ossos e corais, dois grandes pedaços de árvore eram unidos e ganhavam uma vela central, feitas de fibra de coco.
Os construtores de canoas escolhiam seus discípulos, e desde crianças escolhiam a árvore na floresta e por toda uma vida cuidavam dela e reverenciavam, até o momento em que os deuses da natureza e da sabedoria lhe davam o sinal, e mais uma canoa era construída, o que a tornou um ícone sagrado e respeitado até hoje.
A técnica de remada envolve um puxador que emite um som pra dar o compasso das remadas, que pode ser o He (na Polinésia) o Hut (no Hawaii) ou o Hip Ho (no Brasil).
Uma remada bem feita, mantém o sincronismo da canoa, não perdendo o ritmo de navegação já praticado, onde destaca-se a integração entre os remadores em comunhão com a canoa, num verdadeiro espírito de equipe.
Se imagina que essas canoas tenham dado origem a primeira versão do surf. Mais um motivo pra nós as reverenciarmos.


Cultura InParadise