TRILHA DA COSTA DA LAGOA


TRILHA DA COSTA DA LAGOA

 

            A trilha da Costa da Lagoa, que começa no final da rua principal do Canto dos Araçás, é conhecida também como Caminho da Costa. Tem este nome por ser o único caminho até a comunidade da Costa da Lagoa, não há acesso para carros ou ônibus, apenas a pé ou de barco se consegue chegar à comunidade.

            A trilha tem uma extensão aproximada de 8km, mas seu grau de dificuldade é leve pois não há grandes obstáculos, tais como penhascos e escaladas, a serem superados. É composta basicamente de pequenos aclives e declives e grandes trechos praticamente planos e sombreados.

            Sua mata nativa abundante, a possibilidade de avistar muitas espécies de aves, mamíferos, insetos e as belas paisagens da Lagoa da Conceição, da costa do Parque do Rio Vermelho, das dunas da Joaquina e a cachoeira da Costa, são os grandes atrativos desta bela trilha, que pode ser feita por praticamente toda a família. Roupas leves, um bom calçado para trilha, boné, protetor solar, água e disposição são os requisitos básicos para curtir um ótimo dia em contato com a natureza.

            Mais um bom motivo para se fazer a trilha é a grande opção de restaurantes à beira da lagoa, que servem pratos à base de peixes e camarões, entre outros, onde podemos curtir o merecido descanso após o esforço da caminhada.

            Para os mais ativos, após apreciar o ótimo almoço, a volta pela trilha é uma boa pedida para acelerar a digestão, mas para os mais tranqüilos e sossegados, a volta de barco, apreciando a vista da costa a partir da lagoa é a melhor opção! O barco pode desembarcar os passageiros no início da trilha para aqueles que deixaram seus carros por ali ou pode desembarcar os passageiros no trapiche do Centrinho da Lagoa.

            Nossa aventura começou por volta das 9h da manhã de um belo domingo de sol, reunidos em quatro amigos, sendo um norueguês (meu amigo Espen), duas portuguesas (minhas amigas Rita e Ana) e um brasileiro (eu) e fomos de carro até o final da estrada Geral do Canto dos Araçás, onde deixamos o carro em um estacionamento particular (R$ 15,00 o dia), caminhamos alguns metros ainda pelo finalzinho da estrada até a entrada da trilha, que é sinalizada com um portal feito de troncos.

            A trilha é bem marcada, limpa e suficientemente larga para passarmos sem arranhões. Iniciamos a caminhada curtindo as belezas naturais, as cores das flores e folhas, apreciando a vista da lagoa à nossa direita. Pelo caminho vemos pedras enormes, apoiadas em outras menores, desafiando a lei da gravidade, formando mais uma curiosidade da trilha.

            Existem casas antigas abandonadas, já dominadas pelo mato, como que se fizessem parte da natureza, mesclando o urbano antigo com a mata nativa, um bom motivo para imaginarmos como teria sido a vida destes moradores em tempos em que não havia água encanada nem luz elétrica.

            Mais alguns metros adiante, no lado esquerdo da trilha, encontramos um engenho de farinha, remanescente das atividades locais. Encontra-se bem conservado e está aberto à visitação pública, vale a pena conhecer por dentro, suas estruturas e engrenagens, feitas de madeira, onde se moia a mandioca plantada nos morros, para a produção da farinha de mandioca, muito apreciada na região e também pelo Brasil afora. Um pedaço de história e cultura, representado ali por uma bela casa de farinha.

            Ao chegarmos à vila da Costa, pegamos a trilha à esquerda e fomos até a cachoeira da Costa, é uma trilha com uma leve subida, mas o visual da cachoeira e o banho refrescante compensam! Subimos mais um pouco pelas pedras da própria cachoeira, com muito cuidado pois é bem liso e escorregadio, para aproveitar melhor a vista e tomar uma ducha na pequena queda d’água.

            Agora já refrescados, voltamos para a trilha e começamos a difícil escolha entre os vários restaurantes. Que dureza!

            Curtimos uma ótima refeição, apreciando o visual da lagoa, ali, com os pés na areia, na sombra, sentindo a brisa tranqüila da tarde, com céu limpo e ensolarado!

            Finalizamos a aventura retornando de barco até o local que deixamos o carro, um passeio de aproximadamente 20 minutos pelas águas da lagoa, apreciando a vegetação de mata atlântica com seus Guarapuvus, árvore robusta, de flores amarelas que enfeitam toda a costa do morro quando em época de floração, árvore conhecida dos pescadores, de onde se fazia a canoa de um tronco só, esculpida à mão.

            Retornamos ao estacionamento e todos satisfeitos e agradecidos pelo excelente dia, rumamos para casa, com energias recarregadas!

Daniel Pohl – Fotógrafo de natureza – www.facebook.com/danielpohlfotos - 99715141

Seja o primeiro a avaliar!


Adicionar aos favoritos

29 mar 2017


Por Daniel Pohl
Anuncie